segunda-feira, 11 de abril de 2011

Nuvem sobre Fevereiro

Não foi um cogumelo,
Mas foi negra e espessa.

Muito do cultivado
Se perdeu sem a chuva.
Desesperadamente,
Jogam lágrimas no ar
Quem acordou no lugar

E nós não julgaremos...

O que será cantado?
Num dia as avessas,
Em um barracão quente,
Não se tem como cantar

Mas cada pro seu lado,
Irão num mês de pressa
Fantasiar presente.





Soneto escrito depois do incêndio na Cidade do Samba

Nenhum comentário:

Postar um comentário