quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Liquidar

Nadando águas da vida
É fácil não ver saída,
Rodeado só de água
Sem se ver a terra larga,...

Perdido em meio ao mar.

O fim dos nossos começos
É um caldo muit'espesso
Que dificulta o nado

E faz sentir o cansaço
Até sentir-se afundar.

Porém, é rasa contigo
A mesma água, amigo

Basta parar este canto
Que pel'esquerda põe manso
Bile à água engrossar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário