quarta-feira, 18 de maio de 2011

O Legado

Quatro anos atrasado
Quase ave de descaso
Já do lado civ'lizado
Há de, ao ser mal julgado,
Saltos fazer dar famílias.

Do alto a observar
E aveacos de ervas
Tomando lá naquele ar,
D'estranheza, sentem levas

Outras levas 'inda virão

Vagos tornam-se cada vez,
Margens, e mais tem palidez.
Há pois o ar que esqueceis

Já eis em paz, não mais sereis.
Faç'o orar, há de ver paz.





Quem deixa legados em vida deve se pronunciar sobre seus erros.

Um comentário: