quinta-feira, 3 de maio de 2012

Num Dormir Sem Paz (Trabalho Ingrato)

Depois de eu tanto urrar,
A música me faz chorar.

Ainda tenho este ar
Pesado a me rodear
Que só me faz despedaçar.

Mas, ainda tenho junto
Aquele, que mesmo outro,
Tenta parar o meu grito,
Me levar ao pensar reto.

Este trabalho ingrato.

Eu devo o que me une,
Estas palavras eu honre,
Neste momento tão triste,
A quem sem conhecer fez-se
Amigo desta vã arte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário