terça-feira, 14 de janeiro de 2014

"Dá a entender"


Não dá a entender.
Sou eu a dizer
e tu a ler.

Nesse par ou ímpar,
ficaremos presos nesse impasse.

Queres mesmo que passe
pelo fim da amizade,
Fim da nossa humana idade?
Deixar que se acerte o destino
por moedas e polegares?

Moeda que se não rodopiasse,
Cairia em pé numa fenda
Sem pender demais pra um ou outro,
Feliz em nos mostrar infinitos lados.

Um comentário: