quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

A Vender Cataventos

Cataventos tão parados
Em consenso quas'exato.

Sol ardendo sobryos vastos
Quyao relento tem seus casos,
Seus eventos, seus tratados.

Não vendendo, qual palhaço.

Faria estardalhaço,
Mas, extremo meu cansaço,
 Não me vejo no espaço.
 Incremento do mormaço.

 E fervendo, preso em laços
De um vento muit'escasso
Catavento tão parado
Em consenso quas'exato
Com meu senso, meu estado.

Um comentário:

  1. Ainda estou procurando um jeito de fechar minha boca, pois o queixo caiu.
    Alguma dica?

    ResponderExcluir