segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Fogo Fátuo

Em um cemitério
Encar'o mistério
Que me traz de novo
Onde eu me logro
Em túmulos velhos
 
Deste chão inteiro
Eu sou o coveiro
 
Mas, por que tantas lápides?
 
O fato fátuo
É que cada fogo
Tem seu próprio jogo
No mundo mútuo,
 
Com seus traços raros
A manter acesa
Uma frágil alma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário