sábado, 16 de novembro de 2013

Leitura

Ah, os dias da escrita
Da forma jamais dita
Senão por dedos

Não é cedo
Que ouvirás assim

Ao menos de mim
Pois sou pouco
Um mero troco
Desta cobrança

Filho da criança
Que um dia leu
Esse sou eu
Do meu passado
Mero escriturário

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Criações Perdidas

E agora, onde mora
A criança que olha
Para fora em infância?

Esperança procura
À altura e não cansa.
O que alcança segura
Sem nenhuma arrôgância

Agora quem procura sou eu
De janelas fechadas ao céu
Um discípulo de Prometeu
Que ao não cumprir seria infiel
Para os olhos dados a Morpheu

Um perdido Cupido
Um achado Tanathus

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Trava-Língua #1

Bia e Bru brincam de bolo
Bia e Bru bobeiam co' ovo

O ovo que é novo
Sem asa em voo
Cai e se quebra
E se esparrama

Esquece o estorvo
Começa novo
Com um outro ovo

Bia e Bru são boas de bolo,
Bia e Bru bobeiam de novo
E de ovo em bolo
De bolo em bolo
Farinha e ovo faz lama